Autor do livro “A Loucura Entre Nós” fala sobre o suicídio e saúde mental

No mês de setembro, a Fiocruz Bahia exibiu o filme A Loucura Entre Nós, da diretora Fernanda Fontes Vareille. Promovido pelo projeto Rede Diálogos, que visa o desenvolvimento integral do servidor da fundação, o evento contou com a participação do psiquiatra Marcelo Veras, autor do livro A loucura entre nós: uma experiência lacaniana no país da Saúde Mental, que aborda sua experiência de sete anos como diretor do Hospital Psiquiátrico Juliano Moreira, em Salvador, e cuja história inspirou a realização do filme.

Atualmente, Marcelo Veras é diretor da Fundação de Apoio à Pesquisa e à Extensão (FAPEX), médico do Hospital Universitário Professor Edgard Santos e professor de pós-graduação da Escola Baiana de Medicina e Saúde Pública e da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Tem experiência na área de psicologia, com ênfase em Psicanálise e atua, principalmente, em temas como contemporaneidade, psicanálise, saúde mental, Freud e Lacan.

A Fiocruz Bahia apoia a campanha do Setembro Amarelo de conscientização sobre a prevenção do suicídio. Em entrevista, o psiquiatra contou como foi a experiência de ver seu livro transformado em um filme e conversou também sobre os fatores sociais acerca do suicídio, a influência do trabalho na saúde mental e a importância do diálogo como suporte emocional.

Confira:

twitterFacebookmail

“Meta assinatura de expressão no Aedes aegypti: perfil viral versus padrão de alimentação como um marcador de infecção viral no vetor”

image-2016-09-27-at-10-05-47

Artur Trancoso é pesquisador em Saúde Pública no Centro de Pesquisa Gonçalo Moniz – FIOCRUZ/BA. Possui Graduação em Biomedicina pela Escola Baiana de Medicina e Saúde Pública(2006) e Doutorado em Bioinformática pelo Programa Interunidades em Bioinformatica da USP (2010). Tem experiência na àrea de Bioinformática e em Evolução Viral de retroviroses humanas e vírus causadores de hepatites, Análise de sequências e Imunoinformática. Atualmente participa em projetos de análise da interação parasito-hospedeiro, determinação de Microbiota e desenvolvimento de ferramentas de análise de proteínas.

Fonte: Currículo Lattes

twitterFacebookmail

Sessão Científica Extra: “Metabolismo de L-arginina na infecção por Leishmania”

sessao-extraLucile Floeter Winter é Bacharel e Licenciada em Ciências Biológicas pelo Instituto de Biociências USP, com Doutorado em Bioquímica pelo Instituto de Química USP. Atualmente é Professora Titular do Departamento de Fisiologia do IBUSP. Desenvolve projetos de pesquisa com organismos da família Trypanosomatidae, principalmente Leishmania e Trypanosoma. Descreveu sondas de DNA para identificação desses organismos utilizando diversos alvos moleculares e aplicação de técnicas como hibridação e PCR. Em biologia molecular básica, estuda a organização de promotores de RNA polimerase I e a regulação da expressão de genes de RNA ribossômico. Também estuda metabolismo de Leishmania no entendimento da relação do parasita com a célula hospedeira, com o objetivo de descrever alvos quimioterápicos.Atua na área de eduação superior, tendo atuado na coordenação do Curso de Ciências Moleculares, da Pró-Reitoria de Graduação, curso destinado à formação de cientistas, de 2003 a 2008.

twitterFacebookmail

“Utilização consciente de Animais em experimentação científica e ensino e a regulamentação do CONCEA”

sessao

Lucile Floeter Winter é Bacharel e Licenciada em Ciências Biológicas pelo Instituto de Biociências USP, com Doutorado em Bioquímica pelo Instituto de Química USP. Atualmente é Professora Titular do Departamento de Fisiologia do IBUSP. Desenvolve projetos de pesquisa com organismos da família Trypanosomatidae, principalmente Leishmania e Trypanosoma. Descreveu sondas de DNA para identificação desses organismos utilizando diversos alvos moleculares e aplicação de técnicas como hibridação e PCR. Em biologia molecular básica, estuda a organização de promotores de RNA polimerase I e a regulação da expressão de genes de RNA ribossômico. Também estuda metabolismo de Leishmania no entendimento da relação do parasita com a célula hospedeira, com o objetivo de descrever alvos quimioterápicos.Atua na área de eduação superior, tendo atuado na coordenação do Curso de Ciências Moleculares, da Pró-Reitoria de Graduação, curso destinado à formação de cientistas, de 2003 a 2008.

twitterFacebookmail

Sessão de Nefropatologia

A Sessão de Biópsias Renais constitui-se como um encontro aberto a todos os profissionais da área de saúde de diversas instituições públicas e privadas, com interesse em Nefrologia. Com periodicidade mensal, a Sessão apresenta-se como um ambiente para discussões de casos sob o ponto de vista clínico e anatomopatológico e para a troca de experiências entre profissionais. A iniciativa contribui para o aperfeiçoamento da prática clínica e de diagnóstico anatomopatológico. Em cada sessão são discutidos três casos, com ampla documentação clínica e de imagens histopatológicas.

Coordenação

Washington Luí­s C dos Santos

CALENDÁRIO DAS SESSÕES DE NEFROPATOLOGIA 2018

As sessões ocorrem na última segunda-feira do mês (ou conforme alterações assinaladas abaixo), das 12:00-13:30 (primamos pela pontualidade)

 

MÊS DATA LOCAL (IGM, FIOCRUZ BAHIA)
MARÇO 02/04/18a AUDITÓRIO ALUÍZIO PRATA
ABRIL 23/04/18b AUDITÓRIO ALUÍZIO PRATA
MAIO 18-19/05/18c AUDITÓRIO ALUÍZIO PRATA
JUNHO 25/06/18 AUDITÓRIO ALUÍZIO PRATA
JULHO 30/07/18 AUDITÓRIO ALUÍZIO PRATA
AGOSTO 27/08/18 AUDITÓRIO ALUÍZIO PRATA
SETEMBRO 24/09/18 AUDITÓRIO ALUÍZIO PRATA
OUTUBRO 29/10/18 AUDITÓRIO ALUÍZIO PRATA
NOVEMBRO 26/11/18 AUDITÓRIO ALUÍZIO PRATA
DEZEMBRO 17/12/18 AUDITÓRIO ALUÍZIO PRATA

 

a Por motivos técnicos, a sessão de março foi remanejada para a data mais próxima em abril.

b Considerando a possibilidade de baixa afluência na véspera do feriado de 1º de maio.

c Conferências Clinico-patológicas 2018.

 

twitterFacebookmail

Vacina, Diagnóstico e Tratamento

Como instituição de pesquisa voltada para o aperfeiçoamento do Sistema Único de Saúde (SUS), a Fiocruz Bahia busca contribuir para o desenvolvimento de vacinas, métodos diagnósticos e no tratamento em todas as enfermidades onde atua.

Trabalhamos em vacinas para as leishmanioses, na avaliação de vacinas contra o HPV e dengue, entre outras.

A nossa atuação no desenvolvimento e aperfeiçoamento de testes diagnósticos inclui as leishmanioses e leptospirose, por exemplo.

Para o aperfeiçoamento do tratamento dos pacientes, atuamos nas áreas de farmacologia, nanotecnologia e biomateriais para o desenvolvimento de fármacos e medicamentos. Há também grupos voltados para o desenvolvimento de imunobiológicos, ou seja, moléculas que podem auxiliar no desenvolvimento de respostas imunes para doenças infecciosas. Também de grande importância para o tratamento de diversas enfermidades, a Fiocruz Bahia tem um sólido programa de medicina regenerativa, com uso de células-tronco.

 

twitterFacebookmail

Plataforma de Bioinformática

A Plataforma de Bioinformática do IGM foi criada em maio de 2012 e presta serviços em bioinformática para auxiliar em pesquisas desenvolvidas no âmbito institucional. Os serviços oferecidos abrangem a criação, manutenção e mineração de bancos de dados biológicos; análises de sequencias de RNA/DNA e proteínas; treinamento de pessoal para utilização dos recursos de bioinformática disponíveis e suporte para o desenvolvimento de novas ferramentas de bioinformática.

Equipe
Luciano Kalabric Silva – Tecnologista
Artur Trancoso Lopo de Queiroz – Pesquisador
Alisson Silva Fonseca – Bolsista PIBITI
Renato Victoriano – – Bolsista PIBITI

Contato:
kalabric@bahia.fiocruz.br
tel: +55-71-3176-2354

twitterFacebookmail

Plataforma Citométrica de Fluxo

Oferece serviços de leitura e análise de dados de imunofenotipagem, quantificação de citocinas intracelulares e sobrenadantes de cultura, plasma e soro, ensaios de proliferação celular e separação de células (cell sorting). Atualmente, a Plataforma possui três citômetros: o FACSAriaIIu, o FACSArray e o LSRFortessa. O LSRFortessa, recentemente adquirido, viabiliza a melhoria do padrão para citometria de fluxo de alta performance, uma vez que permite a leitura simultânea de 11 cores. A Plataforma conta também com acessórios do FACSAriaIIu compatíveis com o sorting em placas, lâminas e tubos, oferecendo desta maneira o serviço de isolamento/clonagem de populações de células eucarióticas e procarióticas, a partir de suspensões obtidas de fluídos biológicos, cultura de linhagens celulares, órgãos dissociados e outros. Disponibiliza ainda os softwares DIVA, FCAP e Flow Jo para análises dos resultados.

Principais equipamentos disponíveis:

– Citômetro de Fluxo BD FACSAria™ Cell-Sorting System IIu;
– Citômetro de Fluxo BD FACSArray;
– Citômetro de Fluxo BD LSRFortessa.

Equipe 
Msª Liliane Cunha – Servidora Responsável
Dr. Jorge Clarêncio Andrade – Servidor Consultor
Rafaela Gomes Alves – Bolsista

Contato:
liliane@bahia.fiocruz.br
tel: +55 (71) 3176-2303

twitterFacebookmail

Plataforma de Sequenciamento de DNA

A plataforma de sequenciamento oferece suporte ao desenvolvimento de projetos de pesquisa que necessitam da tecnologia de sequenciamento de ácidos nucléicos, prestando serviços de sequenciamento de DNA, análises de fragmentos e de antígeno humano leucocitário (HLA). Contribui na interpretação de resultados e disponibiliza também os seguintes softwares para análises: SeqScape, Sequence Scanner, BiodEdit, Codon Code Aligner, GeneMapper e Peak Scanner. Recentemente, a plataforma recebeu um scanner de altíssima resolução para leitura de microarranjos (HiScan Illumina), cuja acurácia, sensibilidade e rapidez permitem a análise simultânea de milhões de marcadores genéticos simultaneamente. A aplicação primária do equipamento é a genotipagem, pois é capaz de identificar mais de 4 milhões de polimorfismos de um único nucleotídeo (single nucleotide polymorphisms– SNPs). Adicionalmente, o equipamento permite a leitura de microarranjos de expressão gênica e avaliação do padrão de metilação gênica, entre outras técnicas.

Equipamentos disponíveis:

– Sequenciador automático de DNA ABI 3100 Prism, série: 1592-015, Applied Biosystems;

– Sequenciador automático de DNA ABI 3500XL, série: 24343-130, Applied Biosystems;

– Termocicladores GeneAmp PCR Systems 9700, séries: 805S9142723 e 805S9142726, Applied Biosystems.

Equipe
Silvana Sousa da Paz – Servidora responsável
Marilda de Souza Gonçalves – Servidora Consultora
Maíra dos Santos Silva – Bolsista

Contato:
spaz@bahia.fiocruz.br
Tel: 71 3176-2441

twitterFacebookmail

Plataforma Tecnológica de PCR em Tempo Real

Plataforma de PCR em Tempo Real realiza ensaios qualitativos e quantitativos baseados na captação de fluorescência em tempo real para detecção e/ou estimativa da concentração de ácidos nucléicos na amostra;

Principais equipamentos disponíveis:

– 7500 Real Time PCR System, série 275001606  Applied Biosystems;

– 7500 Real Time PCR System, série 275001606  Applied Biosystems.
 

Equipe
Záira Onofre Nunes – Servidora responsável
Marilda de Souza Gonçalves – Servidora Consultora

Contato:
spaz@bahia.fiocruz.br
Tel: 71 3176-2441

twitterFacebookmail

Sessão de Patologia Hepática

Ementa: A sessão de  Hepatopatologia tem como objetivo ser um ambiente de troca de informações e experiências, através da discussão de casos, com ênfase nos achados anatomopatológicos e sua relação com dados clínicos e demais exames complementares usados no diagnóstico de doenças hepáticas. Está aberta a todos os interessados: estudantes de graduação e pós-graduação, residentes e profissionais envolvidos na prática diagnóstica em Hepatologia.

Coordenação:

Luiz A. R. de Freitas

Publico-alvo:

Médicos e estudantes de Medicina

Periodicidade:

Quinzenal

Dia:

Terças-feiras

Hora:

8h

twitterFacebookmail

Sessão de Patologia Cirúrgica

A sessão de Patologia Cirúrgica tem como objetivo ser um ambiente de troca de informações e experiências, através da discussão de casos, com ênfase nos achados anatomopatológicos correlação anatomoclínica e dificuldades diagnóstica. Médicos Patologistas e estudantes de medicina com interesse em Anatomia Patológica.

Coordenação:

Eduardo Ramos

Publico-alvo:

Médicos Patologistas, Médicos Residentes e estudantes de Medicina

Periodicidade:

Semanal

Dia:

Todas as terças-feiras

Hora:

17h30 às 19h30

twitterFacebookmail

LPBM – Laboratório de Patologia e Biologia Molecular

O LPBM foi fundado em 1989, época em que foram iniciados estudos de imunopatologia da esquistossomose humana em parceria com os pesquisadores Donald Harn e John David, da Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard, por meio de Grant ICDR financiado pelo Instituto Nacional de Saúde Americano (NIH, sigla em inglês). Esses estudos foram realizados em áreas endêmicas das cidades de Itaquara e em Salvador e envolveram pacientes com a forma hepato-esplênica da doença internados no Hospital Geral Roberto Santos. Nesses estudos foram avaliadas as respostas imune celular e humoral, com publicação de trabalhos em periódicos internacionais, formação de mestres e doutores.

Durante o desenvolvimento do projeto foram implantadas ações multidisciplinares de intervenção, diagnóstico, tratamento, educação e informação da comunidade sobre a doença, resultando na queda drástica da prevalência da infecção pelo Schistosoma mansoni de 90% para 10%, intensidade de infecção com redução da carga parasitária e diminuição da morbidade e do grau de fibrose hepática, que foi avaliada por ultrassonografia.

Foram realizados ainda trabalhos nas cidades de Nazaré das Farinhas e Jequié em parceria com os pesquisadores Ronald Blanton e Isabel Parraga, da Case Western Reserve University, e pesquisadores Anamarlucia e Mauricio Barreto, da Universidade Federal da Bahia (UFBA), visando avaliar o papel da infecção por helmintos no desenvolvimento de crianças infectadas pelo S. mansoni ou em associação com outros parasitos. Dessa parceria foram publicados vários trabalhos e treinados vários estudantes de nutrição, inclusive com formação de mestres e doutor.

Na área de virologia, o grupo possui equipe multidisciplinar que desenvolve pesquisas, prestação de serviços para o diagnóstico e genotipagem dos vírus B e C da hepatite, em parceria com professores da Faculdade de Medicina da UFBA e Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública da Fundação para o Desenvolvimento das Ciências. Cumpre ressaltar que o treinamento de vários profissionais tem sido realizado no LPBM, capacitando-os a desenvolver exames moleculares por RT-PCR para o diagnóstico e genotipagem do vírus C da hepatite. Por meio dessas atividades foram publicados trabalhos científicos, formados mestres e doutores e realizadas orientações de alunos de iniciação científica.

Em 1995, com a chegada de Albert Ko, pesquisador visitante da Universidade Cornell, foi composta uma equipe multidisciplinar, juntamente com o pesquisador Mitermayer Galvão dos Reis, que se dedicou à realização de trabalhos de pesquisa, assistência e atendimento para estudos de epidemiologia molecular e patogênese da leptospirose, pneumonias e meningites bacterianas em parceria com colegas do Hospital Couto Maia e com o pesquisador Lee Riley, da Universidade de Califórnia, em Berkeley. Estabelecemos um programa de Global Infectious Disease Training Program em 1999, que esta sendo realizado com os recursos de National Institutes of Health, dos Estados Unidos, e a Fiocruz e que tem um foco para endereçar os doenças infecciosas que surgiram no país por causa de urbanização rápida e desigualidade social. Foram publicados mais de 60 trabalhos científicos e treinados mais que 150 estudantes brasileiros e 40 americanos, com formação de mestres, doutores e estudantes de iniciação científica em epidemiologia clínica, estudos de campo e biologia molecular.

Registramos que, por meio dos estudos na área de leptospirose, foram validados e padronizados métodos diagnósticos, identificados e patenteados antígenos para diagnóstico da fase inicial da infecção na leptospirose, além da identificação de antígenos candidatos à vacina. Foi ainda sequenciado o genoma da Leptospira em parceria com várias instituições do Brasil. O grupo de estudo de epidemiologia molecular das meningites bacterianas tem desempenhado um papel importante na estruturação da vigilância hospitalar e de campo para a realização de estudos de coorte baseados na comunidade. Nas pneumonias, os estudos têm contribuído para a identificação de suscetibilidade antimicrobiana. No laboratório, também têm sido desenvolvidas pesquisas científicas na área de doença de Chagas, doença reumática e dengue.

O LPBM iniciou, em 1995, com a Dra. Marilda de Souza Gonçalves, uma equipe multidisciplinar para o desenvolvimento de atividades de pesquisa, assistência e serviços de referência no estudo de doenças genéticas e hematológicas, com foco principal no estudo de hemoglobinopatias. O grupo tem desenvolvido trabalhos voltados para a epidemiologia molecular e clínica, diagnóstico hematológico e bioquímico dessas doenças genéticas. O grupo possui parcerias bem consolidadas com a Faculdade de Farmácia da UFBA, a Fundação Hemocentro da Bahia (HEMOBA), o Hospital Universitário Professor Edgar Santos (HUPES), a Maternidade Climério de Oliveira, o Hospital Geral Roberto Santos e Hospital das Obras Sociais Irmã Dulce. O grupo contribuiu para o estabelecimento do diagnóstico de hemoglobinopatias, principalmente da hemoglobina S, que possui a prevalência de 1 portador de doença falciforme a cada 645 nascimentos na Bahia, constituindo-se em um problema social e de saúde pública.

As ações multidisciplinares de intervenção implementadas pelo projeto na cidade do Salvador através do diagnóstico, tratamento, educação e informação as comunidades sobre as hemoglobinopatias têm proporcionado diferença substancial nos índices de casos diagnosticados, no conhecimento clínico-laboratorial da doença e no índice de internamentos. Como resultado dessas atividades, foram publicados trabalhos científicos, formados mestres e doutores, e realizadas orientações de alunos de iniciação científica. No campo da educação social, o desenvolvimento do projeto apoiou a contribuiu para a criação da associação de portadores da anemia falciforme (ABADFAL).

 

Pesquisa
Adriano pereira coelho dos santosAilana freitas da silva santosAlbert icksang koAnderson cleiton freitas dos reisArthur lawrence reingoldCaroline brandi schlaepfer salesClarissa araújo gurgel rochaCrislaine gomes da silvaCristiane wanderley cardosoEdileuza soares passosEduardo antonio gonçalves ramosEliana almeida gomes reisElizabeth machado costa vitoria
Elsio augusto wunder júniorErivalda mendonca de aquinoGielson almeida do sacramentoGuilherme de sousa ribeiroIvana patricia dos santosJamary oliveira filhoJoice neves reisKaue jose pereira de jesusLaiara lopes dos santosLais helena pereira purificaçãoLee woodland rileyLeila carvalho camposLeonardo ferreira dos santos
Gestão
Cleiton guimarães carneiro
Nivison ruy rocha nery junior
Apoio Técnico-Científico
Adler dos santos oliveiraAlan dos santos sampaioAlbino lucas da silva montenegroAna claudia figueiredo guedesArlene susanne almeida malaquiasCaio graco zeppeliniCarlene almeida oliveiraClaudio roberto andrade dos santosDaniela silva dos santosDaniele almeida alvesDiego maciel ferreiraElen rachel silva de jesus souzaélida de souza barretoElienai moreira dos santosErica de jesus mirandaFelipe santos oliveiraFernanda mac-allister da silva carvalho cedraz
Franciane gagliano ferreiraGabriel brayan gutierrez peredoGilmar josé da silva ribeiro juniorJéssica de jesus cerqueira limaJoão ricardo pereira da cruz filhoJociane dos reis cruzJose antonio gomesJuliet oliveira santana Kelly jully ribeiro de matos Laís cambuí gusmão Leile camila jacob nascimentoLorena raíssa reis silvaLuana claudia de jesus santanaMábia sousa das nevesMacleia marques santana cruzMaiana lourenço silvaMaria jose de jesus oliveira
Mariana santos silva Milena vaz sampaio santosMonique cavalcante da silvaPerla machado santanaRafael martins reis serraRaian filipe mascarenhas dos santos rochaRaiane moreira coutinho da cruzRenato benÍcio bitencourt da silvaRenato victorianoRomero de jesus nazareRosana aparecida pedrosa de almeidaRoselene da silva santosSanny santana alvesTalita duarte santosTheomira mauadie de azevedo carmoYeonsoo sara lee

 

Telefone: + 55(71) 3176-2289/265
E-mail: lpbm@bahia.fiocruz.br

twitterFacebookmail

LETI – Laboratório de Engenharia Tecidual e Imunofarmacologia

Os principais objetivos do Laboratório de Engenharia Tecidual e Imunofarmacologia (LETI) estão relacionados à investigação dos mecanismos de patogênese da cardiomiopatia chagásica crônica visando ao desenvolvimento de estratégias de imuno-intervenção para prevenção ou tratamento desta doença em modelos experimentais e em seres humanos. No escopo das finalidades está desenvolvimento de terapias celulares utilizando células-tronco de medula óssea e citocinas para reparo do tecido lesado e melhora funcional de órgãos afetados por doenças crônico-degenerativas, como doença de Chagas, doenças isquêmicas, acidente vascular cerebral, fibrose hepática, em modelos experimentais e em pacientes. O LETI também visa a avaliação da atividade farmacológica de produtos naturais quanto às atividades imunomoduladoras, anti-Trypanosoma cruzi, anti-leishmania, antimicrobiana e antitumoral, com enfoque em produtos naturais e sintéticos bioativos.

 

Gestão
Lucyvera cavalcanti imbroinise
Rute ribeiro vivas
Apoio Técnico-Científico
Carine machado azevedo cardoso
Marlene da silva cerqueira

 

Telefone: +55 (71) 3176-2272
E-mail: leti@bahia.fiocruz.br

twitterFacebookmail

LEMB – Laboratório de Epidemiologia Molecular e Bioestatística

O Laboratório de Epidemiologia Molecular e Bioestatística (LEMB) desenvolve pesquisas sobre a epidemiologia de doenças infecciosas e outros agravos de importância para a saúde pública. A sua equipe atua nos programas de pós-graduação do Instituto Gonçalo Moniz (IGM), além de colaborar com os demais laboratórios do centro na elaboração e na condução do plano de análise dos dados de projetos.

 

Estudantes
Keila de oliveira dinizLelia renata carneiro vasconcelos
Philipe faria santos
Gestão
Adriane mirla fontes silva

 

Telefone: + 55(71) 3176-2353
E-mail: lemb@bahia.fiocruz.br

twitterFacebookmail

LASP – Laboratório Avançado de Saúde Pública

O Laboratório Avançado de Saúde Pública (LASP) foi implantado no Instituto Gonçalo Moniz em 1988, inicialmente como Centro de Referência para o Isolamento e Caracterização do HIV no Brasil e para o Diagnóstico das Retroviroses Humanas. No final dos anos 1990, foi incluída uma nova linha de pesquisa sobre o HTLV, ocasião em que foi demostrado uma alta prevalência deste vírus em doadores de banco de sangue, sendo Salvador a capital com maior prevalência.

No início dos anos 2000, após a demostração de que cerca de 2% da população desta cidade estava infectada pelo HTLV, cerca de 50.000 pessoas, decidiu-se pela criação de um centro multidisciplinar, voltado essencialmente para a assistência destes pacientes. Desta maneira, por meio de um convênio entre a Fundação Bahiana para o Desenvolvimento da Ciência (FBDC) e a Fiocruz foi inaugurado, em 2002, o Centro Integrado de HTLV (CHTLV) no campus de Brotas da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (EBMSP).

Atualmente, o LASP desenvolve estudos em retrovírus humanos e doenças infecciosas associadas, especialmente tuberculose e leishmaniose, na identificação de biomarcadores imunológicos associados ao desenvolvimento de doenças e na prevalência e impacto das doenças infecciosas associadas aos retrovírus. No contexto da infecção por HTLV, busca-se identificar fármacos com a capacidade de modular a resposta imune de indivíduos infectados por este vírus.

 

Gestão
Maria eugenia pondé de góes
Rita de cassia jesus de santana
Apoio Técnico-Científico
Jurema santos carrilho
Noilson lázaro sousa gonçalves

 

 

Telefone: +55 (71) 3176-2213
E-mail: lasp@bahia.fiocruz.br

twitterFacebookmail

LAPEX – Laboratório de Patologia Experimental

O Laboratório de Patologia Experimental (LAPEX) foi criado com o intuito de dar prosseguimento aos estudos sobre a fibrose hepática, iniciados no Serviço de Patologia do Hospital Universitário Professor Edgard Santos da Universidade Federal da Bahia (HUPES/UFBA) com material da patologia humana. O objetivo do LAPEX é investigar aspectos ligados à patogenia da fibrose hepática nas principais doenças endêmicas brasileiras, com utilização dos recursos da patologia experimental.

Com especial interesse pelas doenças hepáticas o LAPEX, em parceria com o Laboratório de Imunopatologia (LIP), o Laboratório de Patologia e Biologia Molecular (LPBM) e o Departamento de Gastro-Hepatologia da Faculdade de Medicina da UFBA, desenvolve um serviço de referência na Bahia na investigação de enfermidades hepáticas humanas, tais como as hepatites B e C. O laboratório realiza estudos de material de biópsias hepáticas e faz os diagnósticos de casos remetidos por unidades de saúde da Bahia e demais estados do Brasil.

O LAPEX também desenvolve pesquisas com base no estudo da patogenia da fibrose hepática em três modelos:

a) Fibrose hepática de tipo septal (Capillaria hepática);

b) Fibrose hepática causada pelo Schistosoma mansoni;

c) Cirrose hepática pelo tetracloreto de carbono.

 

Gestão
Valdenice de oliveira e silva
Apoio Técnico-Científico
Antonio carlos da silva santos

 

Telefone: +55 (71) 3176-2206
E-mail: lapex@bahia.fiocruz.br

twitterFacebookmail

Doenças Parasitárias

As enfermidades parasitárias são a principal área de atuação da Fiocruz Bahia, com ênfase nas leishmanioses, doença de Chagas e helmintíases.

Os grupos de pesquisa da instituição trabalham intensamente tanto na Leishmaniose Cutânea quanto na Leishmaniose Visceral, com estudos dirigidos para a interação Leishmania-hospedeiro (humano e canino), no desenvolvimento de tecnologias aplicadas ao diagnóstico e no cuidado aos pacientes (novas drogas e vacinas). As pesquisas também estão voltadas para investigação de aspectos básicos da biologia do parasita, bem como de aspectos relacionados à patogênese e à inflamação.

Já a produção científica relacionada à doença de Chagas envolve estudos sobre o Trypanosoma cruzi  na busca por novas drogas derivadas de produtos naturais para o tratamento dessa patologia, além de promover uma interface com a medicina regenerativa, pois vem investigando no uso de células-tronco para promover a regeneração do tecido cardíaco.

Quanto às helmintíases, os pesquisadores da Fiocruz Bahia realizam estudos de base populacional sobre os efeitos da presença de Schistosoma mansoni, Toxocara e Ascaris no desenvolvimento da asma e atopia, assim como estudos envolvendo genética de população e alterações histopatológicas decorrentes da infecção por esses parasitas.

twitterFacebookmail