LIGHT – Laboratório de Investigação em Genética e Hematologia Translacional

No Laboratório de Investigação em Genética e Hematologia Translacional (LIGHT), a pesquisadora Marilda de Souza Gonçalves coordena projetos de pesquisa que abordam linhas de pesquisa em hemoglobinopatias, com ênfase em doença falciforme. Entre os mecanismos fisiopatológicos da doença que o grupo liderado pela pesquisadora avalia estão: estudos relacionados ao estresse oxidativo; inflamação; epidemiologia molecular; avaliação de drogas  associadas ao tratamento da doença falciforme; ativação endotelial; biomarcadores do metabolismo lipídico; metabolismo do ferro e suas associações com inflamação; metabolismo de drogas e farmacocinética; estudo translacional de produtos inflamatórios; estudo genético associado a biomarcadores de evolução clínica, principalmente associados ao risco de acidente vascular cerebral (AVC) e vasculopatia, e estudos de instabilidade do RNA.

Além disso, Marilda Gonçalves também atua no estudo de anemias adquiridas, alterações moleculares associadas à saúde da mulher e do recém-nascido, incluindo estudos de tromboembolismo venoso em decorrência do uso de contraceptivos orais e suas alterações laboratoriais. Os grupos de pesquisa da Fiocruz e da Faculdade de Farmácia (UFBA) mantêm uma relação de parceria entre as técnicas desenvolvidas, os estudos realizados e, principalmente, os resultados obtidos.

A pesquisadora Dalila L. Zanette coordena projetos de pesquisa nos seguintes temas: investigação de mutações genéticas relacionadas ao prognóstico da síndrome mielodisplásica (SMD) com impacto na sobrevida global e na taxa de transformação para leucemia mielóide aguda; avaliação de mutações em genes relacionados com o reparo de lesões oxidativas ao DNA, tanto em SMD quanto em anemia falciforme; estudos de avaliação de miRNAs e fatores de transcrição influenciados pela hemólise e pelo estresse oxidativo, como o que ocorre na anemia falciforme.

As duas pesquisadoras desenvolvem projetos relevantes no âmbito das doenças hematológicas e seus aspectos genéticos e moleculares, que culminam na produção de publicações científicas. Existe uma constante interlocução entre as metodologias utilizadas nos projetos, o que proporciona capacitação técnica e auxilia na Formação acadêmica dos discentes envolvidos.

Pesquisa
Carolina neves dos santos rabeloDalila luciola zanette (Subchefe)

Telefone: +55 (71) 3176-2226
E-mail: lhgb@bahia.fiocruz.br

twitterFacebookmail

LAPEC – Laboratório de Pesquisas Clínicas

A equipe do Laboratório de Pesquisas Clínicas (LAPEC) tem trabalhado com pacientes e contactantes destes, em áreas endêmicas de doenças tropicais e em um ambulatório especializado do Complexo Hospitalar Universitário Professor Edgard Santos (HUPES/UFBA). A equipe é composta por pesquisadores que atuam nas áreas de clínica médica, imunologia, imunologia clínica e biologia molecular.

Estes pesquisadores desenvolvem atividades que se complementam com o trabalho dos seguintes pesquisadores:

– Lucas Carvalho, que trabalha principalmente na área da resposta imune inata, investigando o papel de fagócitos mononucleares no desenvolvimento da úlcera leishmaniótica, determinando vias inflamatórias na leishmaniose tegumentar Americana (LTA) relacionadas com as prostaglandinas e leucotrienos e na ativação do inflamassoma nas leishmanioses e nas reações hansênicas;

– Thiago Cardoso, atuando predominantemente na citotoxicidade mediada pelas células CD8, na identificação de marcadores imunológicos associados a patologia das leishmanioses e doenças de Chagas e na imunopatologia do carcinoma mamário canino;

– Edgar Carvalho, que atua na interface entre a resposta imune e a expressão clínica de doenças infecciosas, mecanismos imunológicos associados com proteção e dano tecidual e novas formas de tratamento na leishmaniose tegumentar, na infecção pelo HTLV-1 e nas reações hansênicas.

Gestão
Michele paixão dos santos

Telefone: +55 (71) 3176-2357
E-mail: aline.souza@terceirizado.bahia.fiocruz.br

twitterFacebookmail

LEMB – Laboratório de Epidemiologia Molecular e Bioestatística

O Laboratório de Epidemiologia Molecular e Bioestatística (LEMB) desenvolve pesquisas sobre a epidemiologia de doenças infecciosas e outros agravos de importância para a saúde pública. A sua equipe atua nos programas de pós-graduação do Instituto Gonçalo Moniz (IGM), além de colaborar com os demais laboratórios do centro na elaboração e na condução do plano de análise dos dados de projetos.

 

Gestão
Adriane mirla fontes silva

 

Telefone: + 55(71) 3176-2353
E-mail: lemb@bahia.fiocruz.br

twitterFacebookmail

LAPEX – Laboratório de Patologia Experimental

O Laboratório de Patologia Experimental (LAPEX) foi criado com o intuito de dar prosseguimento aos estudos sobre a fibrose hepática, iniciados no Serviço de Patologia do Hospital Universitário Professor Edgard Santos da Universidade Federal da Bahia (HUPES/UFBA) com material da patologia humana. O objetivo do LAPEX é investigar aspectos ligados à patogenia da fibrose hepática nas principais doenças endêmicas brasileiras, com utilização dos recursos da patologia experimental.

Com especial interesse pelas doenças hepáticas o LAPEX, em parceria com o Laboratório de Imunopatologia (LIP), o Laboratório de Patologia e Biologia Molecular (LPBM) e o Departamento de Gastro-Hepatologia da Faculdade de Medicina da UFBA, desenvolve um serviço de referência na Bahia na investigação de enfermidades hepáticas humanas, tais como as hepatites B e C. O laboratório realiza estudos de material de biópsias hepáticas e faz os diagnósticos de casos remetidos por unidades de saúde da Bahia e demais estados do Brasil.

O LAPEX também desenvolve pesquisas com base no estudo da patogenia da fibrose hepática em três modelos:

a) Fibrose hepática de tipo septal (Capillaria hepática);

b) Fibrose hepática causada pelo Schistosoma mansoni;

c) Cirrose hepática pelo tetracloreto de carbono.

 

Gestão
Valdenice de oliveira e silva
Apoio Técnico-Científico
Antonio carlos da silva santos

 

Telefone: +55 (71) 3176-2206
E-mail: lapex@bahia.fiocruz.br

twitterFacebookmail

Saúde Coletiva

A Saúde Coletiva articula-se em um tripé interdisciplinar composto pela Epidemiologia, Administração e Planejamento em Saúde e Ciências Sociais em Saúde, com um enfoque transdisciplinar.

A Fiocruz Bahia possui grupos de pesquisa focados no desenvolvimento de estudos relacionados aos aspectos epidemiológicos das doenças infecciosas, desnutrição e asma, assim como na avaliação do impacto de intervenções, como vacinações, por exemplo, na população em geral.

twitterFacebookmail