Home > Pesquisa > Laboratórios

LAPEM – Laboratório de Patologia Estrutural e Molecular

O Laboratório de Patologia Estrutural e Molecular (LAPEM) desenvolve pesquisas relacionadas a:

a) Desenvolvimento tecnológico no diagnóstico de doenças hepáticas e renais, incluindo o desenvolvimento de um sistema computacional que permita o reconhecimento de lesões do fígado e do rim, possibilitando o estudo de associações clinicopatológicas em larga escala. O apoio à formação de novos patologistas e ao exercício diagnostico de Médicos Patologistas que atuam em áreas remotas do país.

b) Pesquisa de marcadores urinários de lesão e progressão de doenças glomerulares. Identificação de potenciais marcadores lesão e progressão de doenças glomerulares. Definimos parâmetros de lesão tubular renal relacionados com falência renal aguda, testamos a performance dos painéis utilizados para o diagnóstico de lesão renal aguda em pacientes com síndrome nefróti. Iniciamos estudos de proteômica para identificação marcadores para uso no diagnostico diferencial entre necrose tubular aguda e glomerulonefrite proliferativa.

c) Remodelamento tecidual em doenças infecciosas e crônico-degenerativas: Lida com a identificação de alterações estruturais associadas a processos degenerativos e inflamatório crônicos na esteato-hepatite não alcóolica e na leishmaniose visceral (LV). Inclui os projetos:

      i) LXPLEEN: Demonstramos a associação entre a desestruturação dos microambientes esplênicos e formas graves de LV. Caracterizamos os padrões histológicos de lesão e definimos o potencial papel de CXCL13, APRIL, BAFF e CCL12 no processo. Muitos desses estudos foram realizados em cães naturalmente infectados por L. Infantum. Recentemente temos utilizando modelos murinos de LV para estudo de mecanismo e material de pacientes com LV (colhido em necropsia ou bacos removidos de pacientes com formas graves da doença, refrataria a terapêutica convencional) para definir em que extensão esses dados podem ser generalizados para seres humanos.
     ii) LXAD: Demonstramos que a infecção com Leishmania inibe a adesão de fagócitos mononucleares ao tecido conjuntivo, o que potencialmente define o estabelecimento de lesões associadas a doença nos tecidos. Criamos um grupo multidisciplinar de adesão e migração celular que inclui outros laboratórios do IGM.
     iii) Fibrose portal e venopatia portal obliterativa: A fibrose portal é frequente em biópsias hepáticas e pode estar associada a hipertensão portal e insuficiência hepática. O interesse é avaliar a frequência dessa alteração e estudar células e mecanismos envolvidos na sua gênese, usando modelos experimentais.
     iv) Carcinomas primários de fígado (CPF): O carcinoma hepatocelular é frequente complicação de doenças inflamatórias crônicas hepáticas infecciosas (hepatites virais) e não infecciosas (esteato-hepatite). Coordenamos um grupo multidisciplinar para determinar sua frequência em transplantes hepáticos, definir causas e caracterizar os aspectos morfológicos e vias moleculares implicadas em sua patogênese.
     v) Esteato-hepatite não alcoólica (EHNA): EHNA é a doença hepática mais prevalente no mundo ocidental. Participamos de um grupo multidisciplinar cujo objetivo é utilizar material de biópsias para investigar mecanismos envolvidos na patogênese da EHNA. Dispomos de um modelo experimental que reproduz as alterações morfológicas hepáticas, inclusive o desenvolvimento de carcinomas hepáticos.

d) Produção de insumos para diagnóstico e imunoterapêutica de doenças infecciosas: Inclui os seguintes projetos:

     i) Desenvolvimento de imunoterápico de última geração contra leishmaniose visceral canina: Produção e avaliação de proteínas recombinantes caninas (IL-12, IL-2, IL-7, IL-15 e receptor solúvel de IL-10) com potencial para induzir resposta imune e de memória imunológica em cães.
     ii) INCTDV-Instituto Nacional de Ciências e Tecnologia para o Desenvolvimento de Vacinas (MCTI/CNPq/CAPES/FAPs no.16/2016), cujo objetivo é avaliar o impacto da imunoprofilaxia canina induzida com vacinas produzidas em condições BPL em prevenir a transmissão de infantum em área endêmica.
     iii) Desenvolvimento de um ensaio de QuantiFERON modificado para utilização em cães com suspeita de LV.
     iv) Terapêutica da gengivite crônica: determinar a eficácia de formulações contendo o imunógeno gingipaína de P. gingivalis em adjuvantes) e de novas drogas em eliminar patógenos orais anaeróbicos gram-negativos, em macacos rhesus com periodontite crônica. v) Produção proteínas recombinantes Tax, HBZ e HBZ-SI do HTLV-1 e avaliação da resposta de seres humanos com a infecção viral e desenvolvimento de fármacos capazes de inibir a transativação gênica induzida por Tax. vi) ZikAlliance:  Produção de proteínas recombinantes do vírus da Zika (proteína do envelope-E, NS1, NS3 e NS5) e avalição da resposta imune humoral e celular (T CD4 e T CD8) frente a essas proteínas em indivíduos com a infecção.

Gestão
Patricia ramos reboucas luz
Apoio Técnico-Científico
Elivani sacramento de jesus
Girlandia bomfim dos santos mota

Telefone: +55 (71) 3176-2262
E-mail: @bahia.fiocruz.br

twitterFacebookmail