Tele Coronavírus contabiliza mais de 18 mil atendimentos após 40 dias de funcionamento

O Tele Coronavírus completou, no dia 24 de abril, um mês de atuação no enfrentamento à Covid-19, na Bahia. O serviço, que funciona de forma gratuita, através do número 155, coloca a população em contato direto com voluntários da área da saúde, evitando o deslocamento de pessoas com casos suspeitos da doença até uma unidade de saúde.  

Idealizado pela Fiocruz Bahia e Universidade Federal da Bahia (UFBA) com apoio do Governo do Estado, o Tele Coronavírus realizou mais de 18 mil atendimentos em todo o estado até o dia 30 de abril.  

A pesquisadora da Fiocruz Bahia e coordenadora da iniciativa, Viviane Boaventura, destaca o êxito do projeto em proporcionar que pacientes com casos suspeitos tenham acesso a orientações eficazes, permitindo que as primeiras medidas de enfrentamento ao vírus possam ser tomadas ainda em suas casas. 

“Aproximadamente 10 mil pessoas receberam orientações por telefone de como manter os cuidados em domicílio, sem necessidade de deslocamento para centro de saúde, contribuindo para reduzir a disseminação do vírus, que é o objetivo desse projeto”, afirmou.  

A coordenadora também destacou a oportunidade de aprendizado para os estudantes de medicina que atuam na ferramenta de tele assistência. “Há um trabalho de educação médica continuada, feito pelos professores das escolas e pesquisadores, com pequenos vídeos de atualização médico-científica sobre o tema Covid-19, que são disponibilizados para toda a equipe de saúde de voluntários. Acreditamos que esse trabalho trará aprendizados para os futuros médicos não apenas tecnicamente, mas sobre o exercício da empatia e da solidariedade”, pontuou.   

A maioria dos casos reportam sintomas típicos de infecção respiratória, como tosse, febre, falta de ar e alteração de olfato. Dentre os usuários, apenas 14% possuem idade acima de 60 anos, enquanto a maioria dos pacientes estão na faixa etária de 20 a 45 anos. Os registros informam ainda que as ligações recebidas são, principalmente, de Salvador e região metropolitana. 

Os autores da formulação do projeto disponibilizaram o Plano de Implementação do Tele Coronavírus caso instituições de outros estados queiram implementar em suas regiões. O documento, que está disponível no Repositório Institucional da Fiocruz – Arca, pode ser acessado aqui

Além de Viviane Boaventura, fazem parte da implementação/coordenação do projeto os pesquisadores da Fiocruz Bahia Manoel Barral Netto, Roberto Carreiro, Ricardo Khouri e Pablo Ivan Ramos; os alunos de pós-graduação Thiago Cerqueira Silva e Felipe Torres; os professores de outras instituições Victor Nunes e Camila Vasconcelos (FMB-UFBA), Bernardo Canedo e Sofia Andrade (UNEB); Daniele Canedo (UFRB); e o médico residente Louran Passos.   

Coordenação e parceria entre instituições  

O projeto conta com a colaboração de professores e alunos de escolas médicas das seguintes instituições: Universidade Federal da Bahia – UFBA, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Universidade do Estado da Bahia – UNEB, Universidade Estadual de Feira de Santana – UEFS, Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia – UFRB, Universidade Federal do Sul da Bahia- UFSB, UNIFACS, Uni-FTC e Unime.  

O Tele Coronavírus conta ainda com o apoio da Associação Bahiana de Medicina, Comissão Estadual de Médicos Residentes e da Fesf Tech. As secretarias estaduais envolvidas são a Secretaria de Saúde (Sesab), de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), do Planejamento (Seplan), de Segurança Pública (SSP), da Administração (Saeb), da Infraestrutura (Seinfra) e Secretaria de Comunicação (SECOM).  

twitterFacebookmail