Pesquisador Bernardo Galvão é diplomado como membro titular da Academia Brasileira de Ciências 

Bernardo Galvão e a Ministra da Saúde e Acadêmica, Nísia Trindade. Foto: Cristina Lacerda

Em cerimônia realizada nesta quarta-feira (10/05), o pesquisador emérito da Fiocruz Bahia, Bernardo Galvão Castro Filho, junto com outros 16 nomes, foi apresentado como membro titular da Academia Brasileira de Ciências (ABC). A solenidade marca a participação formal dos pesquisadores junto à entidade. O pesquisador foi eleito para integrar a ABC, como membro na área de Ciências da Saúde, em Assembleia ocorrida no dia 1° de dezembro de 2022, em função de sua importante contribuição na área de Imunologia.  

Dentre os que participaram da cerimônia, estavam a ministra da Ciência, Tecnologia e Inovação, Luciana Santos; a ministra de Estado da Saúde, Acadêmica Nísia Trindade; a presidente da ABC, Helena B. Nader – ineditamente, três mulheres nos postos de mais alto grau; e o presidente do CNPq, Acadêmico Ricardo Galvão.

Bernardo Galvão é reconhecido como o primeiro cientista a isolar o vírus HIV na América Latina. A partir de seus estudos, foi possível elencar uma série de políticas públicas de contenção da disseminação do vírus, como a triagem na doação sanguínea e a fundamentação do Programa Nacional de Controle do HIV do Ministério da Saúde.  

Galvão ingressou na Fiocruz em 1977, onde auxiliou a implantação de um Centro de Imunologia Parasitária, no Rio de Janeiro. Na Fiocruz Bahia, o pesquisador foi um dos responsáveis pelo desenvolvimento do Laboratório Avançado de Saúde Pública (Lasp). Atualmente, ele se dedica ao estudo do retrovírus HTLV-1, que possui na Bahia um dos seus grandes focos de contágio.  

*Com informações da ABC.

twitterFacebookmail