Estudo sobre interações entre Leishmania e macrófagos é publicado em livro

Um estudo sobre as formas de interação da Leishmania com células do hospedeiro foi publicado no livro “Macrofágos – 140 anos de sua descoberta”, editado por Vijay Kumar. O capítulo denominado “Elucidando a complexa interrelação nas interações precoces entre a Leishmania e macrófagos”, delineia, através de revisão bibliográfica, um amplo panorama de como o parasita Leishmania se estabelece, sobrevive e se multiplica em células chamadas de macrófagos. Essa entrada se dá por meio de um processo denominado de fagocitose. O trabalho foi realizado pelas pesquisadoras da Fiocruz Bahia, Patrícia Veras e Juliana Perrone, e do pesquisador Thiago Castro Gomes, da Universidade Federal de Minas Gerais.

A fagocitose é um processo metabólico que envolve a internalização de material particulado por células fagocíticas, como o macrófago. Esse processo ocorre em uma série de etapas distintas e complementares nas células fagocíticas, sendo capaz de reconhecer micro-organismos, incluindo os parasitos do gênero Leishmania, que na forma de promastigota são reconhecidos por receptores e são internalizados. Mediante esta ligação da Leishmania com a célula hospedeira, etapas subsequentes ocorrem, incluindo a polimerização da actina e a produção de moléculas microbicidas. Assim, os fagossomos formados contendo os parasitas transitam pela via endocítica da célula hospedeira, onde sofrem modificações, para, por fim, se fusionarem com lisossomos, transformando-se em compartimentos fagolisossomais.

No entanto, os cientistas reconhecem que, há outras formas para o parasita adentrar em um ser vivo. Estudos anteriores demonstraram que, ao tratar os macrófagos com o inibidor da fagocitose citocalasina-D, cerca de 75% da infecção foi bloqueada, evidenciando que na parcela de 25% das células infectadas, a fagocitose não é a única via de entrada no hospedeiro.

Os autores salientam que a capacidade do hospedeiro em erradicar a infecção, como a causada pela Leishmania, depende dos primeiros momentos de interação entre esses microorganismos e as células hospedeiras, ativando diferentes vias de sinalização celular que são cruciais para o resultado da infecção. Dessa forma, a depender do tipo de encontro inicial entre Leishmania e o macrófago, pode ocorrer tanto a eliminação dos parasitas, como o estabelecimento da infecção e mesmo migração das células infectadas pela Leishmania para outros tecidos do hospedeiro, resultando em disseminação do parasito para diferentes tecidos.

Clique aqui para acessar a publicação.

twitterFacebookmail